Anomalias de Número

As anomalias aqui consideradas, se referem à Agenesia Renal Bilateral, incompatível com a vida, à Agenesia Renal Unilateral, compatível com a vida e quase sempre com rim vicariante (rim cresce para suprir a falta do outro) e Rins Supranumerários (em quantidade maior que o normal, dois).

1. Agenesia Renal Bilateral 

Quase sempre associada ao feto severamente oligodrâmnio (pouco líquido amniótico), pois o feto sem rim não produz urina e conseqüentemente líquido amniótico. Está associada a malformações de outros aparelhos e sistemas (respiratório, gastrointestinal, ósseo, nervoso), como ocorre na Síndrome de Potter.

2. Agenesia Renal Unilateral

Mais comum que a Agenesia Bilateral e compatível com a vida. Geralmente, o rim existente é maior devido à hipertrofia compensatória (vicariante) para suprir a função do outro. Muitos são diagnosticados por acaso, visto que proporcionam ao indivíduo uma vida absolutamente normal. O indivíduo portador de um só rim deve ter anotado em seus documentos a existência deste órgão solitário, para que o mesmo não seja retirado numa situação de urgência, como num acidente com hemorragia abdominal. Aqui não se consideram os rins solitários por atrofia ou hipoplasia do outro rim, diagnósticos que devem ser afastados.

3. Rins Supranumerários 

É uma rara condição, onde o indivíduo têm um rim, pelve e ureter separados dos dois rins naturais. Presume-se aqui que o rim embrionário se dividiu antes de encontrar o coto ureteral correspondente. Pode ocorrer em igual incidência em ambos os lados ou ser bilateral. Geralmente, o rim supranumerário (ou acessório) está abaixo e é menor que o rim normal do mesmo lado e têm seu próprio suprimento sanguíneo. O ureter supranumerário pode se encontrar com o ureter normal do mesmo lado ou desembocar separadamente na bexiga. Muitas vezes, os rins acessórios têm função prejudicada.