Assunto: Transplante Renal (2)

 

O que acontece se nenhum dos membros da família for compatível?

Se você não tem doador entre os membros da sua família, será colocado na lista de espera de rim de doador cadáver.

 

O que é provada cruzada ou "cross-match"?

É o exame em que se mistura o sangue do receptor e do doador para ver se há possibilidade de rejeição nas primeiras horas pós-transplante. Se for positivo, o transplante não será realizado, pois a chance de rejeição é de quase 100%.

 

O que significa rejeição?

Rejeição é o termo usado para descrever a reação do corpo ao novo rim. Algum grau de rejeição é esperado, a maioria dos pacientes a terá durante a primeira ou segunda semana após o transplante. Existem várias maneiras de tratar a rejeição e na maioria das vezes será curada.

 

Como saberei que estou rejeitando meu rim ?

Você deve estar alerta para a possibilidade de rejeição e prontamente comunicar à equipe de transplante se observar qualquer sinal ou sintoma, listados abaixo:

O nefrologista então avaliará se existe ou não processo de rejeição acontecendo, pois estes sinais e sintomas também podem ter outras causas além da rejeição.
Obs.: Qualquer outra alteração também deverá ser comunicada ao médico.

Ficarei com restição de líquidos após meu tratamento ?

A maioria dos pacientes é capaz de beber tanto líquido quanto quiser após o transplante. No entanto, se sua pressão sanguínea está elevada e você retiver líquido (edema), necessitando de diurético, poderá ser orientado a restringir líquidos. Se uma restrição for orientada, você saberá exatamente qual será a limitação.

Terei restições de alimento após meu transplante ?

Desde que cada indivíduo é único, os requerimentos nutricionais variarão. No entanto há restrições dietéticas, sendo freqüentemente temporárias. Muitas delas estão relacionadas à quantidade de Prednisona que você está recebendo. Se ocorre retenção de sódio e líquido, o conteúdo de sua dieta será restringido. A ingestão de potássio na dieta será controlada se os níveis estiverem elevados (consulte um nutricionista).

Como saberei se posso doar um rim ?

Você  fará uma consulta médica e depois, em etapas, grande série de exames de sangue, urina, radiológico e eletrocardiograma para comprovar que seus rins e demais órgãos estão perfeitos. Caso um ou mais exames deram alterados, será avisado e encaminhado para o tratamento adequado. Se não puder doar, também será comunicado.

Quais são os riscos da doação ?

A cirurgia é feita coma anestesia  geral e esse é risco da cirurgia. Para que seja o menor possível é feita toda uma avaliação clínica do doador. Especialmente a cirurgia do doador é feita com muito cuidado, já que o mesmo não está doente e apenas pratica um ato de amor.

Levarei vida normal com um rim apenas ?

Algumas pessoas nascem com apenas um rim e nunca ficam sabendo disso, exceto se fizerem algum exame ocasional e descobrirem o fato. Um rim faz o trabalho de dois e a vida da pessoa será normal em qualquer profissão ou na família.

E se o rim que fica perder a função ?

Caso sofra de cálculo renal não poderá ser doador, pois existe a possibilidade de que tenha cálculo de novo. As outras doenças que ocasionam paralisia dos rins, atingem os dois rins, tanto faz ter um ou dois.

Uma pessoa que retirou um dos rins pode ser considerada incapacitada e ter alguma vantagem com PNE (Portador de Necessidade Especial)?

Não é uma condição incapacitante que exclua de uma vida normal. Um rim supre normalmente a função de dois e a agenesia renal unilateral é uma condição comum e são descobertas muitas vezes por acaso. Mesmo nos casos de câncer renal, os operados não tem nenhum direito extra, por terem um segundo rim com função normal. Apenas na Insuficiência Renal Crônica pode-se pleitear alguns benefícios por incapacidade, esta completamente justificada.

Se assim fosse, todos os doadores de transplante seriam PNE mas paradoxalmente são pessoas extremamente sadias, tanto que puderam se privar de um rim em benefício um semelhante.

É verdade que o transplante renal não é recomendado para maiores de 70 anos?

O transplante renal é recomendado numa faixa etária com expectativa de vida de mais de 10 anos em função da complexidade e gravidade do tratamento, isto é, o organismo aos 70 anos não suporta uma grande intervenção cirúrgica como é o transplante. Existem doenças degenerativas associadas sejam, cerebrais, cardiovasculares ou sistêmicas (diabetes) que o contra-indicam após esta faixa etária. Ainda, o resultado de um transplante, não é certo e líquido, pois podem ocorrer complicações inerentes ao corpo estranho (rim implantado) e uso de medicações imunossupressoras muito agressivas.
Não é impossível que exista um indivíduo que aos 70 anos tenha uma capacidade física de 60 anos, mas improvável, ainda mais no renal crônico.
Em relação ao doador, nesta idade não haverá regeneração do parênquima renal, sobrecarregando o rim remanescente e criando situações clínicas como um novo renal crônico, hipertenso, etc.
Restaria a critério do nefrologista, um implante de doador-cadáver, ainda com ressalvas pela idade.

 

Página Anterior