Assunto: Teste de Paternidade

 
O que é o Teste de Paternidade?

Também chamado de Teste de DNA, consiste em comparar as informações genéticas observadas no DNA da criança com aquelas encontradas no DNA do suposto pai.

 

O que é o DNA?

O DNA (ácido desoxirribonucléico) é uma substância presente em todas as células do corpo, sendo a responsável pela transmissão das características hereditárias dos pais para os filhos, como por exemplo, a cor dos olhos, dos cabelos, etc. O padrão de DNA de cada pessoa é único, exceto para gêmeos idênticos.

 

O Teste de paternidade só identifica o pai?

Não, também serve para identificar a mãe.

 

O resultado é confiável?

Sim. O teste afirma, com 99,9% de certeza, se a pessoa é ou não o pai da criança, bastando apenas uma pequena amostra de sangue dos envolvidos (suposto pai, mãe e criança).

 

O Teste de Paternidade pode ser realizado antes do nascimento da criança?

Sim. Colhendo uma amostra da placenta na 11ª semana de gestação ou do líquido amniótico na 15ª semana. Caso não haja necessidade durante a gestação, pode-se colher uma amostra de sangue do cordão umbilical na época do nascimento. O Teste de Paternidade deve ser, entretanto, realizado de preferência após o nascimento do bebê.

 

O teste pode ser feito sem que a mãe participe ou quando o suposto pai já faleceu?

Sim, em ambos os casos. Entretanto, sem a mãe o teste é mais complexo, pois requer a análise de um número maior de genes e quando o pai é falecido, as características genéticas podem ser compostas através de membros da família até o segundo ou terceiro grau e também, através da exumação de cadáver.

 

É preciso ter uma ordem médica ou judicial para realizar o teste?

Não. A maioria dos casos são resolvidos extrajudicialmente entre as partes envolvidas.

 

O teste só é realizado a partir de amostras de sangue?

Não. O DNA pode ser extraído de outros materiais biológicos, como: sêmen, unha, etc. Mas isto, geralmente, só se aplica em caso de investigação de crimes. As amostras de sangue são melhores, pois permitem obter maior quantidade e qualidade de DNA.

 

Se um dos envolvidos estiver doente ou sob tratamento médico, pode fazer o teste?

Sim. A análise de DNA no Teste de Paternidade não é afetada nesses casos.

 

É preciso estar em jejum para a coleta de sangue?

Não. A ingestão de alimentos não atrapalha a análise.

 

A coleta de sangue precisa ser feita com todos os envolvidos na mesma hora e local?

Não é necessário, mas muito recomendável, tanto em casos judiciais como extrajudiciais, para que ambas as partes presenciem a coleta de sangue.

 

Como é comprovada a identidade das pessoas no momento da coleta de sangue?

Por meio de documento de identidade com foto e, no caso de menores, pela certidão de nascimento. Além disso, as pessoas são fotografadas e, eventualmente, filmadas no momento da coleta das amostras sangüíneas.